CARLOS NÓBREGA
POEMA

A GRAMÁTICA É MEU BRINQUEDO 

  Prótese
  Ênfase
E miosótis.

 

O JARDINEIRO DO DESERTO 

Pintei o jarro E esperei chegar a flor.

A flor não veio

Então o jarro se al

           quebrou.

 

TAMBÉM FAÇO FRASES HEROICAS 

Fui

Vi

E voltei.

 

SOBRE A HUMANIDADE 

Se eu fosse Prometeu

não me queimaria

por tão pouco.

 

FIAÇÃO (INSÔNIA) 

seeupudessecompreenderaluz

eunãoinventariaalâmpada,

eudesmancharia a noite.

 

QUEDA DE FRUTO,

ORGASMO DA ÁRVORE 

Só, Ao sol

desfruta-se

a fruteira.

 

POSTURA 

Uma fruta no chão

a sós, de si remota,

É o ovo que a árvore bota.

Carlos Nóbrega, autor de A Sono Solto, Outros Poemas (I Prêmio Osmundo Pontes, da Academia Cearense de Letras), Breviário (Prêmio Estado de Minas de Cultura), Árvore de Manivelas, O Quanto Sou, 8Verbetes (I Prêmio Nacional Gerardo de melo Mourão, do Ideal Clube – Menção Honrosa), Lápis Branco, E5pelhos (com Frederico Régis, Lúcio Cleto, Jorge Furtado e O Poeta de Meia-Tigela), Canto Aceso e acidade (com O Poeta de Meia-Tigela).

Revista Propulsão (ISSN: 2595-1351 )

Conteúdo protegido pela Lei do Direito Autoral nº 9.610/98. 

Editora Responsável

Lia Leite