SOBRE VAZANTES

 

o movimento caudaloso do rio;

roda dentada do desejo;

anoiteçe e adentra a terra

 

a metáfora passa a língua

no pescoço que esquiva;

dedilhante e obsceno.

 

mimese líquida

na sombra do salgueiro;

demoras e

uma vastidão de urgências.

 

na emboscada,

farpas de medo e redenção; 

 

um ímpeto na algibeira: 

 

nos olhos da seca,

labaredas estrilam

um desejo sonâmbulo 

e o espanto: tudo é sangue.

 

E se fosse atrito ou tempestade?

se fosse concha?

Resvalaria? (Lamberia que nem cachorro do mato?)

Clotilde Zingali (1966) nasceu em São Paulo, capital, no dia 19 de janeiro. Começou a escrever na adolescência e por volta dos 26 anos passou a escrever com mais intensidade. Formada em Produção Editorial, apaixonou-se pela montagem e feitio dos livros antes da leitura, que veio com maior fluxo quando o próprio processo de escrita passou a demandar outros horizontes. Clotilde se mudou para Santa Catarina em 1997 e sua trajetória nasce com o Prêmio Joinville de Expressão Literária, em 2005, quando alcança o primeiro lugar com o poema “Anamnese”. Na edição de 2006, é novamente contemplada com menção honrosa pelo conto “Solilóquios para um Dia Especial e A Despeito de Meteorologias”. E em 2008 conquista o primeiro lugar com a poesia “Sobre Reformas” e uma menção honrosa pela crônica “Cinco Baladas para Maria”. Depois do percurso no Prêmio Joinville de Expressão Literária, passa a integrar o grupo de poetas joinvilenses Zaragata e publica os livros: Bricolages para Geladeira (2006), Oco Hálito (2007) e 40 Possíveis Maneiras de se Descascar uma Mulher (2008), todos os três premiados e produzidos através do apoio do Edital de Apoio às Artes de Joinville. Mantém seu blog com atualizações semanais. 

Revista Propulsão (ISSN: 2595-1351 )

Conteúdo protegido pela Lei do Direito Autoral nº 9.610/98. 

Editora Responsável

Lia Leite