SOBRE VAZANTES

 

o movimento caudaloso do rio;

roda dentada do desejo;

anoiteçe e adentra a terra

 

a metáfora passa a língua

no pescoço que esquiva;

dedilhante e obsceno.

 

mimese líquida

na sombra do salgueiro;

demoras e

uma vastidão de urgências.

 

na emboscada,

farpas de medo e redenção; 

 

um ímpeto na algibeira: 

 

nos olhos da seca,

labaredas estrilam

um desejo sonâmbulo 

e o espanto: tudo é sangue.

 

E se fosse atrito ou tempestade?

se fosse concha?

Resvalaria? (Lamberia que nem cachorro do mato?)

Clotilde Zingali (1966) nasceu em São Paulo, capital, no dia 19 de janeiro. Começou a escrever na adolescência e por volta dos 26 anos passou a escrever com mais intensidade. Formada em Produção Editorial, apaixonou-se pela montagem e feitio dos livros antes da leitura, que veio com maior fluxo quando o próprio processo de escrita passou a demandar outros horizontes. Clotilde se mudou para Santa Catarina em 1997 e sua trajetória nasce com o Prêmio Joinville de Expressão Literária, em 2005, quando alcança o primeiro lugar com o poema “Anamnese”. Na edição de 2006, é novamente contemplada com menção honrosa pelo conto “Solilóquios para um Dia Especial e A Despeito de Meteorologias”. E em 2008 conquista o primeiro lugar com a poesia “Sobre Reformas” e uma menção honrosa pela crônica “Cinco Baladas para Maria”. Depois do percurso no Prêmio Joinville de Expressão Literária, passa a integrar o grupo de poetas joinvilenses Zaragata e publica os livros: Bricolages para Geladeira (2006), Oco Hálito (2007) e 40 Possíveis Maneiras de se Descascar uma Mulher (2008), todos os três premiados e produzidos através do apoio do Edital de Apoio às Artes de Joinville. Mantém seu blog com atualizações semanais. 

Para participar da próxima edição confira nossas REGRAS DE PUBLICAÇÃO.

 

Revista Propulsão (ISSN: 2595-1351 )

Conteúdo protegido pela Lei do Direito Autoral nº 9.610/98. 

Editora Responsável

Lia Leite